Diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil significa 80% de chances de cura.

Diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil significa 80% de chances de cura.

 

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer é a principal causa de morte entre crianças e adolescentes (0 a 19 anos). Em 2017 foram estimados 12.600 novos casos.

 

Ressalta-se que o câncer infantojuvenil envolve todos os tipos de neoplasias, sendo as leucemias com um percentual de 26%, depois os linfomas de 14% e os casos de tumores no sistema nervoso central (SNC) com 13%.

 

De 2009 a 2013 foram cerca de 12% de mortes com idades de 1 a 14 anos. Entre 1 e 19 anos foram 8% dos casos de mortes por conta da doença.

 

Em 2014, ano mais recente com informações sólidas de que foram registrados 2.724 mortes. Em 2013 foram registrados 2.835 óbitos.

 

O INCA e o Ministério de Saúde (MS) divulgaram um estudo que apontou 64% de sobrevida prevista no Brasil entre 0 a 19 anos (cálculo com base em dados de ocorrência e mortalidade) e que a sobrevida têm variações de acordo com as regiões do país, sendo: Sul com 75%; Sudeste com 70%, Centro-Oeste com 65%, Nordeste 60% e Norte com 50%.  

 

 

Os avanços no tratamento da doença nas fases da infância e adolescência foram significativos, porém o diagnóstico precoce somado ao tratamento em centros especializados são imprescindíveis porque pode garantir até 80% de chances de cura, resultando na grande maioria dos casos, na qualidade de vida dos pacientes. 

 

De acordo com o Médico Lisandro Lima Ribeiro, Hematologista e Oncologista Pediátrico dos Serviços de Transplante de Medula Óssea do Hospital de Clínicas e do Hospital Nossa Senhora das Graças, quanto mais tempo se leva para iniciar o tratamento, mais o organismo fica vulnerável a complicações. “Neoplasias com muito tempo de evolução apresentam complicações que podem ser irreversíveis. Quando o diagnóstico é feito em tempo, as chances de curam aumentam expressivamente”, reforça.

 

Alguns sinais podem ajudar a identificar que algo não vai bem com a criança. Ainda de acordo com o médico, palidez, aumento do volume das ínguas (gânglios), dores ósseas de grande intensidade, mancha branca na menina dos olhos, além de manchas roxas pelo corpo e sangramento nasal podem ser indicadores da doença. O surgimento de qualquer um deles deve ser levado em consideração e avaliado por um médico especialista, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento o mais breve possível. 

 

DNCCI

O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil é no dia 23 de novembro.

 

Linha do Tempo

A campanha do DNCCI surgiu por iniciativa da Apacn que enviou um projeto à Brasília, para criação de uma lei, para oficializar uma data ao Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (DNCCI). No dia 4 de abril de 2008, o então Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, promulgou a Lei 11.650 instituindo o dia 23 de novembro. 

 

Hashtags

#DNCCI #APACN  #euapoioDNCCI #umavidanormalDNCCI  

 

Sobre a APACN: Instituição sem fins lucrativos, de utilidade pública federal, estadual e municipal, criada em 1983 para acolher crianças e adolescentes com câncer de todo o Brasil, que realizam o tratamento nos hospitais referência de Curitiba. Unidades de atendimento: Casa de Apoio, Ambulatório Menino Jesus de Praga e Centro de Pesquisas (CEGEMPAC). 

Serviço:

Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (DNCCI) 

23 de novembro

apacn.org.br

facebook.com/APACNParana

instagram.com/apacn.pr

(41) 3024 7475