Palavra da APACN

Amigos e amigas da APACN,

Vivemos em uma época em que o câncer volta e meia bate às nossas portas. Seja através do adoecimento de um familiar, parente ou amigo, ou de uma notícia sobre a enfermidade de alguém.

Imediatamente nos compadecemos da pessoa acometida por sabermos quão difícil é o enfrentamento da doença, ainda mais quando se trata de uma criança ou de um adolescente: a descoberta, os temores sobre seu desdobramento e consequências, as dúvidas sobre o tratamento e a cura.

Pudéssemos, tenho certeza, tiraríamos a doença com as mãos… Mas se isso não é diretamente possível, indiretamente pode estar ao alcance de todos: no apoio, na palavra de conforto, no abraço de encorajamento, nos acompanhamentos ao paciente e até mesmo na informação.

Sim, hoje há inúmeras pesquisas sobre o câncer e o melhor é que são amplamente divulgadas em todos meios de comunicação, o que tem sido extremamente positivo para a prevenção da doença e para o alerta à população quanto à procura, junto a seu médico, sobre as melhores possibilidades de tratamento.

É nesse contexto que nós da APACN transitamos. Conhecendo toda essa dinâmica, preocupamo-nos, todos, funcionários, voluntários e colaboradores, em ofertar àqueles que necessitam o melhor acolhimento possível. E, quando falamos em acolhimento, estamos nos referindo não apenas à recepção na Casa de apoio, mas em como isso é realizado.

Pensamos no acolhido, em sua realidade antes, durante e pós-acolhimento. Por isso, mais do que acomodações, ofertamos a logística necessária para o tratamento, atendimento psicológico, social e pedagógico, além de mantermos uma Escola para que a criança e o adolescente possam, além de acompanhar o calendário escolar, sentir-se o mais próximo possível de suas vidas cotidianas: aulas, professores, coleguinhas, intervalo para o lanche, entretenimento. E tudo isso é realizado com o maior respeito, dedicação e muito carinho.

Selamos, dessa forma, nosso compromisso de justiça social para com a população, buscando a equidade na relação com a saúde, desde o momento em que mantemos um Centro de pesquisa sobre o câncer, até quando promovemos, na Casa de Apoio, o acolhimento, físico, emocional e terapêutico das crianças, dos adolescentes e dos familiares que chegam até nós.

Estendemos, então, nossa mão buscando a sua,
para que juntos operemos exitosamente essa causa!

Abraço,
Mariza Del Claro